Por que devo me proteger?

Durante séculos, o corpo humano está acostumado a receber uma certa quantidade de ondas eletromagnéticas que o planeta produz de maneira natural. O desenvolvimento da humanidade tem procurado uma vida mais confortável ao homem com o uso de diversos artefatos elétricos e eletrônicos, os quais facilitam as atividades diárias. Assim, todos os dispositivos (forno microondas, telefone celular, tablets, vídeo games, televisores, notebooks, roteadores etc.) produzem radiação eletromagnética, ao estarem conectados diretamente a eletricidade. Este avanço tecnológico trouxe consigo um novo perigo à humanidade.

O que é a radiação eletromagnética?

A radiação eletromagnética é formada pela combinação de campos elétricos e magnéticos, os quais oscilam em fase perpendicular entra cada um e são perpendiculares à direção da propagação da energia. A diferença deste tipo de onda para outras, como a do som, que precisa de um meio para se propagar, é que a radiação eletromagnética pode se propagar no vácuo.

Como os campos eletromagnéticos nos influenciam?

Por meio de um fenômeno bem conhecido pela física: a interação de campos de energia. Tudo no organismo humano e de todos os seres vivos funciona na base de correntes elétricas. O cérebro comanda o funcionamento dos órgãos e dos movimentos corporais através de impulsos elétricos que percorrem os nervos.

Os nervos funcionam exatamente como fios e cabos elétricos. E, a exemplo dos cabos e fios, a passagem de uma corrente elétrica cria ao redor um campo eletromagnético. O eletrocardiograma ilustra bem a atividade elétrica do coração. O mesmo faz o eletroencefalograma em relação ao cérebro.

Assim, pela interação de campos, a poluição eletromagnética interfere e altera os nossos campos biológicos. Estes, perturbados, agem sobre o organismo e a psique gerando desequilíbrios e doenças. É o que se chama uma reação em cadeia.

Algumas doenças e desequilíbrios associados à poluição eletromagnética:

  • Fadiga
  • Dor de cabeça
  • Ansiedade
  • Estresse
  • Insonia
  • Câncer
  • Tensão nos músculos
  • Perda da concentração
  • Redução da oxigenação do corpo
  • Desequilíbrio do sistema imunológico do corpo

Fantástico - A Radiação Eletromagnética

Dr. Lair Ribeiro explica sobre os riscos da poluição eletromagnética

 

                                                                                                          INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER

06/06/2019

A radiação não ionizante é uma modalidade de radiação de baixa frequência e baixa energia, também denominada de campo eletromagnético, que se propaga através de uma onda eletromagnética, constituída por um campo elétrico e um campo magnético, podendo ser provenientes de fontes naturais e não naturais.

Os dois principais subtipos de campos eletromagnéticos são:

  • Eletromagnéticos de frequência extremamente baixa: Ondas de rádio - oriundos da rede elétrica e dos equipamentos elétricos e eletrônicos
     
  • Radiofrequência/micro-ondas: Telefones celulares e sem fio, antenas de telefonia celular instaladas nos aparelhos móveis e nas torres, radares e transmissões de rádio e TV, luz elétrica, torres de transmissão e distribuição elétrica, fiação elétrica em construções, equipamentos que emitem radiação infravermelha, redes Wi-Fi.

Formas de exposição

No trabalho:

Os trabalhadores podem ser expostos a campos eletromagnéticos de frequência extremamente baixa, se trabalharem próximos de sistemas elétricos que utilizam grandes potências como geradores ou cabos de força, variando conforme a potência do campo eletromagnético, da distância do trabalhador em relação à fonte e do tempo de exposição. As maiores exposições ocorrem entre os soldadores e eletricistas.

Ambiental:

Todos nós somos expostos a radiação não ionizantes, sejam elas por meio de fontes naturais ou produzidas pelo homem.


Principais efeitos à saúde

A exposição aos campos não ionizantes não são um fenômeno recente, embora a exposição não natural tenha aumentado no século XXI em função das demandas por eletricidade, aprimoramento tecnológico e mudanças no comportamento social. Quanto maior a intensidade do campo magnético externo maior a circulação de corrente no interior do corpo humano. Tanto os campos elétricos como magnéticos podem, quando suficientemente intensos, produzir estimulação em nervos e músculos ou afetar outros processos biológicos.

As evidências sugerem que a exposição crônica à radiação não ionizante de baixa frequência e fontes de campos eletromagnéticos de frequência extremamente baixa pode aumentar o risco de câncer em crianças e adultos.

 

A Neutralizer tem a solução para esses riscos. Conheça nossos produtos.

Referências:
Sobre a loja

A Neutralizer é uma empresa que há mais de 30 anos desenvolve trabalho de pesquisa científica e tecnológica na área de radiações nocivas. Tendo como fundamento a radiestesia, a Neutralizer desenvolveu uma fórmula bioquântica que culminou na produção de aparelhos neutralizadores de poluição eletromagnética capazes de reestabelecer as energias positivas dos ambientes, contribuindo para medicina integrativa e consequentemente para a saúde das pessoas.

Pague com
  • Mercado Pago
Selos

Neutralizer ME - CNPJ: 15.272.603/0001-10 © Todos os direitos reservados. 2019